Manejo certo é fator determinante na lavoura

Nossa equipe desembarcou em Barreras (BA), para contar mais uma história de sucesso

Nossa equipe desembarcou em Barreiras (BA), para contar mais uma história de sucesso

De semente em semente e a lavoura fica farta. É assim que começa, o DuPont Colheita Farta deste sábado, 20 de agosto.

No 23º episódio da temporada 2015/2016, Cleiton Barbosa, coordenador de marketing e Antônio Vieira representante comercial da DuPont , foram até até Barreiras (BA) e conversaram com o produtor Rural, Paulo Schmidt, sobre o manejo de pragas e doenças na produção de sementes.

Paulo é engenheiro agrônomo e responsável pela parte técnica do grupo Schmidt Agrícola. O grupo formado por ele e os três irmãos, se consolidou desde a década de 80, quando seu pai saiu do Rio Grande do Sul e resolveu explorar novas terras no Nordeste, apostando na cultura do arroz e consequentemente soja.

Quando chegou na Bahia se encantou com as planícies, pois acreditou que seria muito fácil de trabalhar, já que não haveria empecilho para que as máquinas agrícolas percorressem pelas terras. No entanto, as terras eram secas e difíceis para nutrição.

Produtor Rural Paulo, exibe com orgulho a sua lavoura farta

Produtor Rural Paulo, exibe com orgulho a sua lavoura farta

“Foi muito difícil, porque o que tinha de facilidade para trabalhar em termos de máquina, tinha dificuldade em termos de nutrição do solo. Mas com o passar dos anos, através de muita pesquisa, a gente aprendeu a trabalhar com esse solo mais arenoso. E hoje a gente valoriza muito as terras planas com o solo não muito arenoso, onde tem de 20% a 30% de argila é a perfeição pra se implantar a cultura da soja principalmente”, afirma o produtor.

Após tantas pesquisas, a fazenda chegou a 14 mil hectares. Um orgulho à família Schmidt, que pode acompanhar o quanto foi difícil superar todos os obstáculos.

Diante de tanto esforço e dedicação, o grupo sempre busca garantir que a lavoura seja uma lavoura farta do plantio a colheita, sem possíveis pragas e doenças. E para que isso aconteça, a família utiliza todo o portfólio da DuPont. Relação de confiança que foi estabelecida há muitos anos.

“Quando a lavoura é produção de semente, é importante, é muito importante o manejo de pragas e doenças, porque essa sementinha, cada sementinha aqui vai virar uma nova planta na próxima safra. Então se você cuida muito bem uma lavoura que é produção de grãos, aqui onde é produção de sementes você tem que cuidar com muito mais cuidado e com produtos que te ajudem a entregar no final uma produção boa e com grãos de qualidade”, comenta Cleiton.

Além do manejo correto de sementes, o grupo acredita que o processo de rotação da cultura de algodão, ajuda a melhorar a qualidade do solo e diminuir as doenças na lavoura da soja, por exemplo.

“Você consegue manejar melhor a época de plantio, porque você planta soja em novembro. E algodão em dezembro”, explica o produtor.

Acompanhe os bastidores no Instagram do Colheita Farta!

ATENÇÃO: ESTE PRODUTO É PERIGOSO À SAÚDE HUMANA, ANIMAL E AO MEIO AMBIENTE. LEIA ATENTAMENTE E SIGA RIGOROSAMENTE AS INSTRUÇÕES CONTIDAS NO RÓTULO, NA BULA E NA RECEITA. UTILIZE SEMPRE OS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL.NUNCA PERMITA A UTILIZAÇÃO DO PRODUTO POR MENORES DE IDADE.CONSULTE SEMPRE UM ENGENHEIRO AGRÔNOMO. VENDA SOB RECEITUÁRIO AGRONÔMICO.PRODUTO DE USO AGRÍCOLA. FAÇA O MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS.DESCARTE CORRETAMENTE AS EMBALAGENS E RESTOS DO PRODUTO.

O AUMENTO DA PRODUTIVIDADE E RENTABILIDADE FORAM OBSERVADOS EM CAMPOS EXPERIMENTAIS, ONDE FORAM UTILIZADOS PRODUTOS DUPONT SEGUINDO CORRETAMENTE AS INFORMAÇÕES DE DOSAGEM E APLICAÇÃO. O AUMENTO DE PRODUTIVIDADE E RENTABILIDADE DEPENDE TAMBÉM DE OUTROS FATORES COMO CONDIÇÕES DE CLIMA, SOLO, MANEJO, ESTABILIDADE DO MERCADO, ENTRE OUTROS. DADOS DISPONIBILIZADOS PELA ÁREA DE PESQUISA DA DUPONT.